O Aroma que vende mais!

 

“O merchandising olfativo é o prenúncio de uma nova era do merchandising no ponto de venda, que caracterizará a teatralização do ponto de venda, a evolução para um tipo de Disneylândia do consumo, tudo isso para despertar e estimular a reação das pessoas, explorando o significado emotivo da sensação. A venda se transforma em um show com o resgate de emoções; é preciso reposicionar, com ferramentas cada vez mais evoluídas. De acordo com Alan Hirsh (1998), conhecido como o papa do marketing olfativo, a tecnologia olfato interativa será, para a década 2000-2010, o que foi o neón para os anos 50. Como o varejo, no futuro, terá um tratamento temático e cenográfico, um dos recursos mais notáveis será a possibilidade de trabalhar sua comunicação nas lojas, com um dinamismo nunca visto: a exploração do merchandising olfativo”

Autor Antonio Carlos Giuliani (Publicado no Jornal de Piracicaba, Caderno Opinião, p. A-3, 15 dez 2000)

2

Como você pôde ver, Merchandising Olfativo não é nenhuma novidade, pois o texto acima foi escrito a quase 6 anos. Mas então porque a sua loja ainda está sem aroma? Ou será que sua loja tem o aroma certo? Quantidade adequada?

Sabemos que o marketing visual e auditivo pode ser um pouco cansativo e que alguns clientes já se bloqueiam quanto a eles, porém quanto ao Merchandising Olfativo o cliente não pode se esquivar.

O olfato é um sentido muito poderoso, a Universidade Rockfeller (Nova York) fez um estudo sobre como os humanos são capazes de memorizar cada sentido, traduzimos isso através da Tabela abaixo.

1

A memória humana consegue conservar até 10 mil tipos de aromas, mas memoriza somente 200 cores.

O aroma da sua loja, se usado de maneira correta, pode levar o seu cliente a um estado de tranquilidade, confiança, alegria, tradição e muitos outros sentimentos.

No início do mês de junho/2016 aconteceu a palestra “Neuromarketing Aplicado ao Varejo” na Expo Dom Pedro com o Prof. Fernando Rodrigues, da ICN Agency – Portugal, CEO da PsicoSoma Master e docente no Instituto Politécnico de Leiria e no IPAM – Instituto Português de Administração e Marketing – nas áreas de consumo e Neuromarketing.

Nela o Prof. Fernando deixou claro que o aroma da sua loja não é um vendedor direto portanto não faça como alguns que tem tornado suas lojas sufocantes com fragrância em excesso. O aroma ativa memórias, emociona e favorece sim o consumo. Segundo Alan Hirsh 84% dos clientes estavam dispostos a pagar mais 10 dólares por um par de sapatilhas Nike perfumadas, com esse exemplo é impossível não pensar no sucesso do aroma de chiclete que a marca Melissa tem em seus sapatos.

Quem não ama o aroma dos produtos Melissa?
Quem não ama o aroma dos produtos Melissa?

Em vez de comprar qualquer aroma e tornar essa ferramenta – poderosa – ineficaz, procure estudar o Público que frequenta seu estabelecimento, assim você poderá encontrar um aroma ideal para sua loja.2

Procure profissionais da área, mas pense em perguntas como:

  • Qual período da vida do seu público-alvo pode ter sido importante?
  • Naquele período qual será a idade que essa pessoa tinha?
  • Quais aromas nessa fase da vida podem ter sido mais presentes?
  • Traga para os dias atuais aromas que poderiam resgatar sentimentos bons?

Crie o ambiente perfeito para seu cliente, faça-o sentir-se querido, quanto mais ele se sentir bem na sua loja mais tempo ficará e consequentemente maiores suas chances de efetuar uma compra.

Não desperdice chances de melhorar o seu negócio, comente aqui o que você tem achado das nossas dicas e fique a vontade para nos sugerir temas que você tem dúvidas, pode entrar em contato conosco através do email contato@arquiteturaestrategica.com

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *